Sobre acessibilidade

Áreas

 

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA CULTURA DA SOJA

1 – Apresentação

O país é o maior produtor de soja do mundo, ao lado dos Estados Unidos. Em números gerais, o Brasil ocupa a liderança no ranking mundial da produção, com 36% da soja produzida no planeta.  O Brasil lidera também nas exportações, com 77 mi/t comercializadas (52% do total exportado). A soja e o farelo produzidos no país são consumidos por 65 países. Além disso, o complexo soja responde por ¼ dos produtos exportados pelo agronegócio.

A soja é o principal produto da pauta de exportação brasileira, e atingiu em 2020 o volume recorde de 119,4 milhões de toneladas (IBGE). Entre janeiro e maio de 2020, as exportações brasileiras somam US$ 84,5 milhões. A Soja ocupa o 1º lugar na lista dos produtos mais exportados pelo Brasil, de janeiro a maio de2020 contribuiu com 19% o equivalente a US$ 16,3 bilhões. Além da soja em grão, o farelo também é bastante comercializado pelo Brasil no exterior, ocupa o 8º lugar na lista, e contribuiu com 2,8% o equivalente a US$ 6,2 bilhões, de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

A soja, no Pará, vem apresentando ritmo significativo de crescimento, expandindo sua área cultivada, no período de 2010/2020, de 85,4 mil para 580,569 mil hectares, equivalente a 30% do total da área de lavouras, sendo a de maior representatividade dentre as culturas. A produção paraense de soja compreende três grandes polos: o do Nordeste paraense, de maior expressão, liderado pelo município de Paragominas; o do sul do Pará, tendo como principal município produtor, Santana do Araguaia; e o do oeste, capitaneado por Santarém.

Diante da importância econômica do agronegócio para o Estado, já que no Pará, o complexo da soja constitui o principal item de exportação do agronegócio, representando cerca de 25% do valor exportado pelo setor, existe uma demanda muito significativa para a prevenção e controle das pragas que atacam a cultura. A Adepará executa a defesa sanitária na sojiculturura paraense, seguindo as diretrizes do Programa nacional de controle da ferrugem asiática da soja, assim como as demandas do Programa estadual fitossanitário da cultura da soja. Dentre as ações desenvolvidas, está o levantamento fitossanitário de pragas na cultura do soja nos municípios produtores.

Durante o ciclo de cultivo da soja, muitas pragas e doenças podem afetar a produtividade das lavouras, destacando-se a ferrugem asiática da soja, que ocasiona um elevado custo de controle e perdas anuais de produtividade em média de U$ 2,8 bilhões por safra. Atualmente, a Ferrugem Asiática é mais severa doença da soja, com relatos de perda na produção de até 100%. Dentre as estratégias de manejo da doença, destacam-se: o vazio sanitário, a utilização de cultivares, rotação de cultura com gramíneas no lugar da soja safrinha e o uso de fungicidas.

Para combatê-la, o Governo do Pará, por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), e em conformidade com a Instrução Normativa Nº 002/2007, do Mapa, instituiu o vazio sanitário da soja em território paraense. O vazio sanitário é uma estratégia para o manejo da ferrugem asiática da soja, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, que objetiva a redução da sobrevivência do fungo, quebrando o ciclo, diminuindo a quantidade de esporos presentes no ambiente e atrasando a ocorrência da doença nas lavouras.

 

2. Objetivo

As ações desenvolvidas pela Adepará visam proteger a sojicultura paraense, através do mapeamento e reconhecimento das áreas de produção, para a realização de levantamentos de ocorrência de pragas de importância econômica, visando o desenvolvimento de estratégias para prevenção e seus controles.

3. Ações desenvolvidas no Programa:

Dentre as principais ações do programa, desenvolvidas no Pará, destacam-se:

  • Inspeções fitossanitárias, para levantamento de ocorrência da praga, visando o monitoramento populacional e mapeamento de pragas;
  • Cadastramento de propriedade/produtor/unidade produtiva de soja:
  • Fiscalização do vazio sanitário.
  • Fiscalização do Cadastramento de propriedade/produtor/unidade produtiva de soja.
  • Orientação ao produtor quanto ao controle e prevenção da praga e sobre os agrotóxicos liberados para esta cultura;
  • Coleta e envio de amostras de vegetais com suspeita de praga para diagnóstico;
  • Coleta e envio de insetos para reconhecimento ou identificação;
  • Capacitação de técnicos e produtores rurais sobre reconhecimento de pragas.

4 - Praga alvo:

Pragas Alvo:  Ferrugem Asiática (Phakopsora pachyrhizi), Nematóide das Galhas  (Meloidogyne spp.), Nematóide do cisto (Heterodera glycines), soja louca II (Aphelenchoides besseyi), Amaranthus palmeri.

LEGISLAÇÃO

1 - FEDERAL

FERRUGEM ASIÁTICA DA SOJA

NEMATÓIDE DE CISTO DA SOJA

  • PORTARIA Nº 48, DE 24 DE ABRIL DE 1995 (Resolve aplicar medidas de defesa sanitária vegetal na cultura da soja, no país, contra disseminação do nematóide de cisto da soja (gênero Heterodera)

HELICOVERPA

  • PORTARIA Nº 42, DE 5 DE MARÇO DE 2013 (Declarar como emergência fitossanitária a situação do intensivo ataque da praga Helicoverpa zea em lavouras de Algodão e Soja para implementação do plano de supressão da praga e adoção de medidas emergenciais.
  • PORTARIA Nº 1.109, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2013 (O plano de supressão da praga Helicoverpa armigera e as medidas emergenciais de defesa sanitária vegetal serão estabelecidas pelo Órgão Estadual ou Distrital de Defesa Agropecuária, e deverão ser adotadas uma ou mais das seguintes medidas, com base no plano de manejo definido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).
  • DECRETO Nº 8.133, DE 28 DE OUTUBRO DE 2013 (Dispõe sobre a declaração de estado de emergência fitossanitária ou zoossanitária de que trata a Lei nº 12.873, de 24 de outubro de 2013, e dá outras providências)

 

2 – ESTADUAL

  • DECRETO Nº 106 DE 20 DE JUNHO DE 2011 (Aprova o Regulamento da Lei nº 7.392, de 7 de abril de 2010, que dispõe sobre a Defesa Sanitária Vegetal no âmbito do Estado do Pará e dá outras providências)

FERRUGEM ASIÁTICA DA SOJA

 

Responsável Técnica: Maria Alice Lisboa

Contato: (91) 3210-1176/1192

Localização

Estados Unidos
US