Sobre acessibilidade

Áreas

1 - Apresentação

A Citricultura é uma das mais importantes atividades agrícolas do Brasil. Apesar da liderança brasileira nesta atividade, vários fatores interferem em seu crescimento, passando por problemas climáticos, de mercado e fitossanitários.

As pragas (cancro cítrico, pinta-preta, morte súbita e greening) estão ausentes no Estado do Pará, mas uma vez introduzidas, esses agentes poderão ser disseminados rapidamente na região citrícola do Estado, os custos de produção serão grandemente aumentados com a presença dessas pragas. Como exemplo, em São Paulo, o greening está presente em 103 municípios e já causou a eliminação de mais de 600 mil plantas, desde a sua identificação em 2004. Pomares inteiros foram destruídos pela doença, principalmente na região central do estado, onde foi descoberta e está mais concentrada.

Na Ásia e na África, estima-se que mais de 63 milhões de árvores já foram destruídas por causa do greening, desde os anos 60. Ela também é considerada responsável pela baixa produtividade dos países nos quais já se instalou há várias décadas e que não realizam um controle efetivo. É o caso da China e da Indonésia, que produzem menos de 8 toneladas por hectare, quase três vezes menos que o Brasil, que tem uma média de produção de 22 toneladas por hectare. Não existem razões para crer que a situação seja diferente caso estas pragas venham ocorrer em nosso Estado.

Os trabalhos de levantamento para detecção das pragas dos citros são fundamentais e contemplam as propriedades comerciais, os viveiros e também aquelas propriedades localizadas na zona rural que não comercializam frutas cítricas. Apesar da menor importância econômica, as plantas doentes localizadas nessas áreas são importante fonte de inóculo.

Em 2008, foram realizadas 491 inspeções fitossanitárias em 35 municípios de nosso Estado, e em relação ao município de Capitão Poço foram realizadas 104 inspeções de citros, onde foram detectadas apenas a Mosca Negra dos Citros.

Mosca Negra dos Citros alimenta-se do floema, deixando as plantas debilitadas, levando ao murchamento e, na maioria das vezes, à morte. Pode induzir o aparecimento de fumagina nas folhas, reduzindo a fotossíntese. A frutificação fica prejudicada, sendo reduzida em 80%. A legislação exige que, todos os frutos de plantas hospedeiras poderão transitar de UF com ocorrência da praga para UF reconhecida como livre pelo MAPA, desde que sem folhas e partes de ramos e acompanhados de PTV com a seguinte Declaração Adicional: "Os frutos foram submetidos a processo de seleção para a retirada de folhas e partes de ramos e a partida encontra-se livre de “Aleurocanthus woglumi".

Atualmente a mosca negra dos citros encontra-se nos Estados do: Pará, Amazonas, Amapá, Maranhão, Goiás, São Paulo e Tocantins. Das pragas quarentenárias A2 que atacam citros, a mosca negra dos citros é a única que está presente no Estado do Pará.

Dentre outros problemas fitossanitários dos citros, destacam-se o cancro cítrico, a pinta-preta, morte súbita dos citros e o greening, pragas ausentes no Estado do Pará, tendo como ação à vigilância, visando à minimização do risco de introdução dessas pragas. Produtos hospedeiros das mesmas devem estar acompanhados de Permissão de Trânsito de Vegetais para serem internalizados no Estado.

A bactéria Xanthomonas axonopodis pv. citri, ataca todas as variedades e espécies de citros e é considerada uma das mais graves doenças dessa cultura. Altamente contagiosa, a bactéria é resistente e consegue sobreviver em diversos ambientes por vários meses. Em folhas, ramos e frutos com sintomas, a sobrevivência da bactéria pode durar vários anos.

Por tratar-se de uma "praga" quarentenária o comércio de frutos cítricos e seus derivados é regulamentado por legislação internacional e a não adoção de medidas de exclusão/erradicação impede o comércio destes produtos para países livres do patógeno. A doença manifesta-se por lesões em folhas, frutos e ramos, e quando em altas severidades pode provocar a queda de frutos e folhas com sintomas. As lesões podem ter variações nas suas características, podendo ser confundidas com outras doenças.

Citrus Greening Bacterium (HLB) é considerada uma das mais importantes pragas dos citros em todo o mundo. Além dos insetos, outra maneira de transmissão do HLB é o uso de borbulhas contaminadas, sendo este um importante meio de disseminação a longas distâncias. O Greening é considerado o pior problema que ataca os citros (laranja, limão, tangerina) no mundo. Por ser de difícil controle, de rápida disseminação e altamente destrutiva para os pomares, causa grandes prejuízos em todos os locais onde está presente. Provocando queda das folhas, seca e morte dos ramos. Os frutos apresentam maturação irregular, redução do tamanho, deformação e queda intensa.

Pinta preta do citros, causada pelo fungo Guignardia citricarpa, disseminada por meio de mudas, restos de material vegetal, água da chuva e vento, devido à aparência, tornam-se impróprios para o mercado de fruta fresca. Nunca foram observados sintomas da doença em frutos de lima ácida Tahiti. Disseminada por meio de mudas, restos de material vegetal, água da chuva e vento, a doença não provoca alterações no sabor dos frutos, que podem ser comercializados para a indústria de suco, mas, devido à aparência, tornam-se impróprios para o mercado de fruta fresca.

Os órgãos afetados pela pinta preta dos citros podem ser em ordem de freqüência: frutos, folhas, pedúnculos, pecíolos, ramos verdes e espinhos. A pinta preta é de importância pelos sintomas observados nos frutos a ponto de ser considerada uma praga restrita a frutos. Uma das principais características da pinta preta é que folhas e frutos podem estar infectados sem apresentarem os sintomas típicos da doença, o aparecimento dos sintomas pode demorar até um ano, dependendo das condições ambientais.

morte súbita do citros é uma doença de combinação copa/porta-enxerto, que manifesta os sintomas na região da enxertia em plantas sobre porta-enxertos intolerantes. Afeta todas as variedades comerciais de laranja doces e tangerinas Cravo e Ponkan enxertadas sobre o limão Cravo. Seus sintomas iniciam com perda generalizada do brilho das folhas, falta de novas brotações, retenção de frutos, podridão das raízes e outros.

2 - Documentos para Download:

Legislação Federal

PORTARIA Nº 291

DE 23 DE JULHO DE 1997-Cancro cítrico

IN SDA Nº16

DE 18 DE MARÇO DE 2003-Morte Súbita dos Citros

IN Nº 52

DE 20 DE NOVEMBRO DE 2007

IN Nº 41

DE 1º DE JULHO DE 2008

IN Nº 23

DE 29 DE ABRIL DE 2008-Mosca negra

IN Nº 53

DE 16 DE OUTUBRO DE 2008-Greening

IN Nº 3

DE 8 DE JANEIRO DE 2008-Pinta Preta dos Citros

IN Nº 1

DE 5 DE JANEIRO DE 2009-Pinta Preta dos Citros

IN Nº 34

DE 8 DE SETEMBRO DE 2009-Ácaro Hindu

IN Nº 8

DE 17 DE ABRIL DE 2012-Ácaro Hindu

IN Nº 6

DE 7 DE FEVEREIRO DE 2013-Ácaro Hindu

Legislação Estadual

DECRETO Nº 0709

DE 25 DE OUTUBRO 1995-Cancro cítrico

IN Nº005

DE 30 DE SETEMBRO DE 2008-LEPROSE

3 - Contatos:

Tel: (091) 3210-1174 e (091) 3210-1175.