Sobre acessibilidade

Áreas

09/04/2021 - 16:15

Por Lorena Beltrão (Adepará)

 

O trabalho iniciou na última segunda (5) e seguirá até o dia 16 abril

 

Servidores da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) realizam inspeções em propriedades produtoras de soja do município de Nova Esperança do Piriá, nordeste paraense. Identificar pragas que podem atingir a sojicultura e fiscalizar as áreas de plantio são os objetivos da ação, que é realizada pela regional da Adepará de Capitão Poço. O trabalho iniciou na última segunda (5) e seguirá até o dia 16 abril.

As áreas de plantio são fiscalizadas para identificar se elas estão cadastradas na Adepará. Assim, estratégias de prevenção e controle poderão ser desenvolvidas. Uma das pragas que pode causar dano à sanidade das lavouras é a Ferrugem Asiática da Soja, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, que pode causar a perda de cerca de 75% a 100% da plantação.

“Durante a inspeção nas propriedades, o uso correto de agrotóxicos pelos produtores também está sendo fiscalizado”, disse Engel Cichovski, Fiscal Estadual Aagropecuário (FEA), que atua na ação.

 

Prevenção

Para resguardar a sanidade das lavouras e evitar prejuízos econômicos, a Adepará definiu o calendário do vazio sanitário da soja, um período em que fica proibido o plantio por 60 dias.

“Precisamos que o produtor cumpra o período de vazio sanitário, que no caso do Pará ocorre por 60 dias. Esse é o tempo que o fungo leva para morrer, pois ele não consegue sobreviver sem um hospedeiro por um prazo maior”, disse Maria Alice Thomaz Lisboa, gerente de Programas de Pragas de Importância Econômica da Adepará.

O período do vazio sanitário varia de acordo com as regiões, podendo ser realizado de julho a novembro, devido às variações climáticas. As datas são instituídas em portaria no Diário Oficial do Estado (DOE) e são definidas em parceria entre a Adepará e o produtor, para que possam contribuir com o combate à praga da ferrugem asiática.

Produção

A soja é a principal pauta da produção brasileira, que alcançou a quantidade de 119,4 milhões de toneladas produzidas no ano de 2020, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estado do Pará está com um crescente número das áreas de soja: cerca de 700 mil hectares. São três grandes polos produtores no Estado: na região sul, com destaque para o município de Santana do Araguaia; região oeste, com destaque para Santarém; e na região sudeste, com a liderança na produção para a cidade de Paragominas.

Serviço:

Para cadastrar uma área produtora de soja ou notificar uma suspeita da ocorrência de ferrugem asiática, o produtor pode entrar em contato com a Adepará, que está presente nos 144 municípios paraenses. No site da Agência, há os endereços e contatos dos escritórios em todos os municípios.